X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!

Wthree Publicidade - Criação de Sites e Marketing Digital - Fazendo o Certo em Marketing Digital para o Publico Correto!

Estratégias de impacto utilizando o Marketing Digital que geram resultados a curto prazo criando sites que vendem seu produto ou serviço de maneira fácil e rápida.

Logotipo Wthree Publicidade - Criação de Sites e Marketing Digital

Boleto registrado agora é obrigatório, veja o que muda!

O boleto registrado obrigatório, anunciado pela Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) em junho de 2015, deveria entrar em vigor a partir de 1º de janeiro de 2017, mas teve a implementação adiada para que os bancos se adaptem às questões técnicas da recomendação.

Por Wthree Publicidade dia em Blog

Boleto registrado agora é obrigatório, veja o que muda!
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

A iniciativa faz parte do projeto Nova Plataforma de Cobrança, que declarou o objetivo de contribuir com a segurança dos bancos, dos consumidores e vendedores.

A Febraban é uma entidade representativa do sistema financeiro no Brasil e, por consenso em discussões dos Bancos no âmbito da Federação, recomendou a implantação da Nova Plataforma da Cobrança, um sistema unificado de troca de informações entre os bancos para evitar fraudes e rastrear ações criminosas.

Apesar de a decisão significar um aumento imediato no custo de emissão de boletos, as medidas trarão impactos positivos aos usuários da cobrança bancária. Abaixo, você poderá aprender um pouco mais sobre as modalidades de pagamento, entender o que vai mudar e para quando estão previstas as alterações.

Quando ocorrerão as mudanças do boleto registrado?

As carteiras sem registro não são mais comercializadas pelos bancos desde o anúncio da Nova Plataforma de Cobrança, em julho de 2015. Apesar de terem declarado que a mudança entraria em vigor para quem ainda emitia boletos sem registro a partir de 1º de janeiro de 2017, os sistemas bancários ainda não estavam adequados para processar o volume de boletos na modalidade registrada.

Para que haja tempo de adequação suficiente dos bancos à Nova Plataforma de Cobrança, a Febraban recomendou a implantação do boleto registrado por faixas de valores, começando por grandes transações bancárias.

A intenção é que até dezembro todo o contingente de transações por boleto migre da modalidade sem registro para a modalidade registrada.

Confira o cronograma:

  • Acima de R$ 50 mil: a partir de 13/03/2017
  • Entre R$ 2000 e R$ 49.999,99: a partir de 08/05/2017
  • Entre R$ 1.000 e R$ 1.999,99: a partir de 10/07/2017
  • Entre R$ 500 e R$ 999,99: a partir de 18/09/2017
  • Entre R$ 200 e R$ 499,99: a partir de 23/10/2017
  • Igual ou inferior a R$ 199,99: a partir de 11/12/2017

O que é boleto com registro?

O boleto registrado é uma modalidade de cobrança já existente no comércio eletrônico, mas ainda pouco utilizado pelos e-commerces. Até então, a modalidade preferida era o boleto sem registro, em que o banco emitia as cobranças e só recebia os dados do comprador quando o valor era liquidado.

O fato de não precisar da intervenção do banco até o final do processo fazia com que a cobrança sem registro fosse significativamente mais barata em relação ao boleto registrado. Porém, c Com a descontinuidade dessa carteira de cobrança, o boleto registrado substituirá todas as transações comerciais desse tipo.

Segundo o diretor adjunto de operações da Febraban, Walter Tadeu Pinto de Faria, a ação permitirá mais controle do banco em relação ao cadastro de pagadores e proporcionará mais segurança aos compradores e vendedores no ambiente online.

Isso porque o boleto registrado exige o envio de dados dos clientes ao banco contendo o nome e o CPF/CNPJ do pagador. A inclusão dessas informações pode ser feita via internet banking ou por sistemas de gestão (ERP). A intenção é que os dados dos clientes fiquem armazenados no Sistema do Banco Central para prevenir eventuais fraudes e inadimplências recorrentes.

Quem negociou uma carteira de cobrança com o banco vai encontrar uma modalidade mais dispendiosa, uma vez que podem ser cobradas até três tarifas para o mesmo boleto: emissão, atualização (eventualmente) e baixa do pagamento.

Porém, com a recomendação da Febraban para migrar as carteiras de cobrança, os bancos têm aumentado o valor para emissão do boleto sem registro a fim de estimular a migração voluntária para a modalidade registrada.

Vantagens do boleto registrado

Entre os principais benefícios do boleto registrado estão o controle dos recebimentos e a possibilidade de negociar e antecipar créditos. Para o e-commerce, a possibilidade de protestar o CPF dos não pagadores não constitui uma vantagem, já que se o cliente não pagar, o vendedor não envia o produto, havendo menores chances de inadimplência no processo.

Porém, segundo um levantamento feito pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), entre 30% e 50% dos boletos sem registro emitidos no e-commerce não são pagos pelos clientes.

De acordo com Faria, o boleto com registro pode ser benéfico para os dois lados de uma transação do e-commerce:

Para o vendedor:

  • Melhoria no fluxo de recebimentos;
  • Melhoria no ambiente de crédito;
  • Redução das fraudes de emissão de boletos;
  • Melhor controle para adequação às Circulares 3461/09, 3.598/13 e 3.656/13, do Banco Central do Brasil;
  • Redução das inconsistências nos pagamentos;
  • Diminuição dos erros de cálculos de multas e encargos por atraso;
  • Maior agilidade para campanhas de cobrança;
  • Fim da necessidade da 2ª via do boleto;

Para o comprador:

  • Melhor experiência com o Débito Direto Autorizado (DDA);
  • Possibilidade de pagamento de boleto vencido em qualquer agência ou correspondente bancário;
  • Ainda mais segurança no pagamento, com duplo controle contra as fraudes;
  • Garantia da diferenciação do boleto de cobrança do boleto de proposta;
  • Redução de inconsistências de pagamento (e pagamento em duplicidade);
  • Fim da necessidade da 2ª via do boleto para pagamento;

Atenção ao meio de pagamento da sua loja

Depois de saber quais são as diferenças entre os boletos, vale ressaltar que essas mudanças acontecerão de acordo com o vínculo que a sua loja tem com o banco emissor – direto ou indireto.

Negociações com o banco são conhecidas como “Carteira de cobrança”;

Negociações com facilitadores de pagamento são chamadas de “Conta de Recebimento”;

Conheça os impactos em cada uma dessas modalidades abaixo.

Carteira de cobrança

Nessa modalidade, é o portador da conta Pessoa Jurídica que entra em contato com o banco para solicitar a adesão ao serviço de carteira de cobrança. Para os novos clientes, o serviço de boleto registrado na carteira de cobrança não é oferecido desde junho de 2015.

O serviço de carteira de cobrança permite que o cliente do banco emita boletos registrados. No entanto, é importante ressaltar que os clientes novos e antigos devem negociar as tarifas antes de contratar o serviço.

Como dito, a obrigatoriedade do boleto registrado aumenta a intervenção do banco e geralmente sai mais cara para o vendedor que emite um pequeno volume de cobranças desse tipo. Também vale lembrar que o registro dos boletos e envio dos dados ao banco será de responsabilidade do vendedor que possuir carteira de cobrança. Se o valor for alto demais, é recomendável verificar se a sua plataforma de e-commerce possui conta de recebimento (ou facilitadores de pagamento) entre as opções do checkout.

Conta de recebimento

Conta de recebimento é o nome da modalidade de pagamento que tem um facilitador no processo. Funciona assim: a empresa XYZ agrega diversos clientes e processa um grande volume de pagamentos através de boletos emitidos para o CNPJ da XYZ, mas com o nome da sua loja e de várias outras como recebedoras.

Com um volume de emissão de boletos considerável, essas empresas têm poder de barganha com os bancos e recebem descontos na carteira de cobrança para emissão de boletos. Para o micro e pequeno empreendedor, a solução é geralmente mais vantajosa do que negociar com o banco.

Ou seja, o dinheiro do cliente vai para a conta da empresa XYZ e é repassado para a sua conta, em geral, no dia útil seguinte – já com o desconto da tarifa de emissão do boleto. Hoje, o valor gira em torno de R$ 3 por boleto emitido contra R$ 7,50 da carteira de cobrança do banco. A desvantagem desse tipo de cobrança é a distância entre o vendedor e o banco emissor dos boletos.

Que forma de pagamento a sua loja utiliza e como acha que será afetado pelo fim do boleto sem registro e obrigatoriedade do boleto registrado?

Pensando nisso desenvolvemos uma aplicação para lojas virtuais que já tem a opção de boleto registrado.

Acesse aqui a página do serviço e confira!

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Olá, deixe seu comentário para Saiba quais os cuidados jurídicos ao abrir uma Loja Virtual

Enviando Comentário Fechar :/